Home > Revista > Nissan desenvolve autônomo

Nissan desenvolve autônomo revolucionário  

 



Tecnologia vai tornar o dirigir mais fácil com a ajuda da atividade cerebral do motorista. 

 



05/02/2018 - Texto: Autoline | Foto: Divulgação

Jaguar controlado pelo relógio


Quando o assunto é condução autônoma, a imagem que nos vem à mente é a de um automóvel rodando sozinho, sem intervenção do motorista. Para alguns, isso pode representar uma grande comodidade (especialmente nos congestionamentos), mas, para quem gosta de dirigir, essa tecnologia pode representar o fim da paixão. A boa notícia para quem faz parte do segundo grupo, é que existem fabricantes pensando neles.


É o caso da Nissan, que está trabalhando em uma tecnologia que vai permitir ao automóvel reagir aos impulsos emitidos pelo cérebro do motorista. Mas calma, não se trata de controlar o carro com o pensamento. Batizada de “Brain To Vehicle” ou B2V, a principal vantagem desse sistema será acelerar o tempo de reação do automóvel aos comandos do motorista, tornando a condução mais prazerosa e segura. 


Jaguar controlado pelo relógio


Na prática, o motorista vai utilizar um dispositivo que capta sua atividade cerebral e a envia para a central eletrônica do veículo. Assim, ao se aproximar de uma curva, por exemplo, o carro vai desacelerar e se preparar para contornar a curva alguns décimos de segundo ( de 0,2s a 0,5s) antes que o motorista pise no freio e comece a girar o volante. O condutor nem vai perceber a intervenção da central eletrônica, mas sentirá que a tarefa de dirigir estará mais agradável.


Assim, em vez de transformar os carros em robôs, nos quais o ser humano deixa de controlá-los, a Nissan decidiu investir em outra proposta. “A tecnologia B2V faz exatamente o contrário (dos robôs), porque ela usa sinais emitidos pelo cérebro humano para tornar a experiência de dirigir mais atraente e agradável”, diz o vice-presidente executivo da montadora, Daniele Schillaci.   



Jaguar controlado pelo relógio


Tem mais: de acordo com Lucian Gheorghe, responsável por liderar a pesquisa do B2V, também vai ser possível ajustar o ambiente interno do veículo, por meio da realidade aumentada, para criar um ambiente mais relaxante, por exemplo. “O potencial de aplicações para essa tecnologia são incríveis. Ela funcionará como catalisador para mais inovações nos automóveis da Nissan nos próximos anos”, afirmou Gheorghe.