Home > Revista > Kia SUVs compactos

Kia quer entrar na briga dos SUVs compactos 

 



Com um modelo derivado do KX3, a montadora sul-coreana se prepara para disputar espaço com Hyundai Creta, Honda HR-V e Ford EcoSport. 

 



03/02/2018 - Texto: Autoline | Foto: Divulgação

Jaguar controlado pelo relógio


Após o fim do Inovar-Auto (e das cotas de importação), a Kia Motors do Brasil, representante da marca sul-coreana no País, prepara uma ofensiva para recuperar espaço no mercado nacional. E para isso, será fundamental ter um modelo para competir no segmento que mais cresce por aqui: o dos SUVs compactos. Pensando nisso, a empresa prepara a chegada de uma novidade baseada no KX3, utilitário comercializado apenas na China (por enquanto).


Jaguar controlado pelo relógio


Produzido sobre a base do Hyundai ix25/Creta, o KX3 tem dimensões similares, mas visual bastante diferente. A representante da marca no Brasil já confirmou a chegada do modelo, que será importado do México (assim como os novos Picanto e Rio). Contudo, é quase certo que o utilitário compacto terá um novo nome em nosso País.


Com estilo similar ao dos demais SUVs da marca, o KX3 foi exibido pela primeira vez em 2014 na China, e entrou em produção no ano seguinte. O design é atual e se destaca pelo conjunto óptico dividido em três níveis: os faróis na parte mais alta, as luzes de condução diurna no meio e os faróis de milha na parte inferior. A grade possui o desenho característico dos automóveis da Kia, e conferem identidade ao veículo. 


Jaguar controlado pelo relógio


Por dentro, o modelo à venda no mercado chinês apresenta bom nível de acabamento, assim como de equipamentos. Ar-condicionado digital, volante multifunção e central multimídia com navegador por GPS são alguns dos itens disponíveis – e que devem ser oferecidos por aqui também. Na China, o KX3 está à venda com três opções de motor, todos 4-cilindros: 1.6 da família Gamma, de aspiração natural e 123 cv, 2.0 da linha Nu, com 160 cv (ambos já usados no Brasil) e o 1.6 turbo, também com 160 cv, mas em rotação mais baixa e com torque maior. Os dois primeiros podem trabalhar com câmbio manual ou automático de seis marchas, enquanto o turbo usa apenas uma caixa robotizada de dupla embreagem e sete marchas.


Ainda é cedo para cravar qual motorização o modelo terá no mercado brasileiro, mas o mais provável – principalmente por motivos econômicos – é que ele seja oferecido com os mesmos conjuntos do Hyundai Creta, ou seja, motores 1.6 e 2.0 com opção de câmbio manual (1.6) e automático. A tração será apenas dianteira e a expectativa é de que o futuro SUV compacto seja uma das atrações da Kia Motors no Salão do Automóvel, em novembro.