Home > Revista > A mulher no setor automotivo

A mulher no setor automotivo   

 



Pesquisa revela a participação do sexo feminino na indústria. 

 



08/03/2018 - Texto: Autoline | Foto: Divulgação

Jaguar controlado pelo relógio

As mulheres ocupam apenas 17% dos postos de trabalho na cadeia produtiva.

No Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, uma importante discussão diz respeito à participação da mulher na indústria automotiva. O portal Automotive Business, uma das principais plataformas de conteúdo para profissionais do setor, divulgou o resultado parcial de uma pesquisa inédita sobre a atuação da mulher na área, durante o fórum Presença Feminina no Setor Automotivo, em São Paulo.


O estudo mapeou a realidade de montadoras e fabricantes de autopeças para construir um retrato da cadeia produtiva. Os questionários foram respondidos por responsáveis pela área de Recursos Humanos das organizações. 


Uma das conclusões do estudo é que o número de trabalhadoras na cadeia produtiva ainda é muito pequeno: 17% dos postos de trabalho são ocupados por mulheres. A boa notícia, no entanto, é que houve evolução, pois esse percentual era de 15% cinco anos atrás.


“Os dados indicam que, durante a crise econômica, a participação feminina nas empresas automotivas passou por leve crescimento”, avalia Paula Braga, diretora do Automotive Business. “Os motivos não estão bem claros. Mas os salários mais baixos pagos às mulheres podem ter garantido certa proteção aos seus empregos nesse período. É possível também que mudanças culturais e o nível mais elevado de escolaridade das profissionais tenham contribuído para este cenário.”


Outro dado do levantamento é que 87% das empresas automotivas não contam com nenhuma mulher em cargos de vice-presidência ou presidência. Do total, 60% não apresentam mão de obra feminina em posições de diretoria. Sobre remuneração, a pesquisa constata que os homens recebem salário superior desde as funções mais simples. A diferença aumenta em funções mais altas, em que elas chegam a ganhar 33,8% menos.


A faixa etária das mulheres com carreira na indústria automotiva igualmente chama atenção. Apenas 11% que compõem o quadro de funcionários das empresas entrevistadas têm idade acima de 46 anos, enquanto a longevidade do sexo masculino é maior: 26% têm mais de 46 anos.


Segundo Paula Braga, o objetivo da iniciativa é gerar conhecimento sobre a atual condição da mulher no setor e criar a oportunidade de discutir o assunto e refletir sobre caminhos que possam ser seguidos para promover empresas mais igualitárias.