Em favor de seminovo  






Quando vale mais a pena comprar um carro usado.  



11/01/2017 - Texto: Autoline | Foto: Divulgação


Gol: número 1 em sinistro


Você tem uma quantia para comprar um carro e sempre vem a dúvida: é melhor um 0 km sem tantos recursos ou partir para um seminovo mais equipado? Como os automóveis novos estão cada vez mais caros, os usados surgem como opção. Mas vale a pena?


O consultor da área automotiva, Leando Matera, resume em uma frase: “É bom comprar um bom usado". “O primeiro bom se refere a um modelo com projeto de qualidade e de uma marca confiável", explica. "O segundo bom diz respeito à importância de se priorizar um carro em excelente estado de conservação.”


Como um carro bem conservado pode durar muito tempo, a compra torna-se interessante, tanto do ponto de vista técnico como financeiro. Mas Matera alerta: adquirir um seminovo costuma ser mais difícil do que um 0 km.

 

Especialistas de mercado afirmam que o ideal é comprar um veículo com menos de dois anos de uso. Em um modelo de R$ 30 mil, o custo da manutenção preventiva será cerca de R$ 500 no primeiro ano. No segundo, sobe para R$ 1,2 mil e, no terceiro, vai para  R$ 2,1 mil.

 

Optar por um carro de até três anos pode ser vantajoso, mas cuidado com aqueles acima de cinco anos. Isso porque a partir do quinto ano você pode ser obrigado a trocar motor e câmbio, gastando cerca de 40% do valor do automóvel. É muito gasto.

 

Para Matera, comprar um usado traz mais valor agregado custando menos. “Afinal, opcionais e acessórios normalmente não são computados no preço, ao contrário do que acontece com o 0 km”, afirma.


Ele lembra que há carros no mercado de 0 km cujo projeto é dos anos 1990 e que já saíram de linha nos países de primeiro mundo há cerca de uma década. “Não compensa pagar preços estratosférico por esses veículos ultrapassados na condição de 0 km. Mas quem gosta do modelo deve, então, optar pelo seminovo”, ressalta.


Outra dica do consultor: quem compra um usado de pessoas que costumam se desfazer do carro rapidamente para adquirir outro 0 km se dão bem porque pagam um preço inferior em função da desvalorização já consolidada.


A compra do 0 km também envolve riscos, portanto, na  maioria dos casos, vale mais a pena assumi-los com o usado, considerando as vantagens financeiras. Ao sair da concessionária, o carro novo já perde 10% do valor desembolsado. Na média, a depreciação no primeiro ano é de 17%. Com o tempo, essa perda vai caindo.


O educador financeiro, Rafael Seabra, é taxativo ao recomendar o seminovo: “Além do preço menor, defendo o usado por vários motivos: para pressionar as montadoras a reduzirem os valores do 0 km, pela menor desvalorização e pela possibilidade de comprar um carro de categoria superior pelo mesmo preço do 0 km”, argumenta.